O que é genotipagem para HIV?

Você descobre que tem uma vírus que pode desenvolver pra uma doença incurável mortal, ele é transmissível através de uma atividade que te da muito prazer, aumenta sua auto-estima e passa seus genes pra próxima geração. Parabéns, você está com HIV e seu corpo virou um problema de saúde pública.

A única maneira de não morrer por causa desse vírus, que aos poucos te consome por dentro matando seu sistema imunológico é entrando em drogas antirretrovirais, a categoria de remédio mais forte do mundo só perdendo para quimioterapia. Esses remédios podem tem centenas de efeitos colaterais, a longo prazo eles também te estragam.

As estratégias de sobrevivência mais surpreendentes do HIV são a capacidade de multiplicação rápida e a de sofrer mutações. Às custas delas, o vírus enfrenta as adversidades do meio externo, e faz de tudo para escapar das investidas do sistema imunológico do hospedeiro e dos medicamentos usados para eliminá-lo.

genotipagem para hiv

Os antirretrovirais precisam ser tomados religiosamente todos os dias no mesmo horário, caso contrário sua eficácia pode cair e o vírus mutar, ficando resistente, não ao remédio, mas a categoria inteira. Esqueceu de tomar? Mais chances ainda de mutação. Pra o tratamento ser efetivo, uma aderência de 90% é necessária, quer dizer, se em 10 dias você esqueceu de tomar uma vez, talvez tudo bem. Talvez seja o suficiente pro vírus criar uma mutação…

Como existem várias classes de remédios antirretrovirais, todo esse drama com a história da mutação e aderência, existe um teste chamado genotipagem para HIV que ajuda a entender as resistências e mutações de um soropositivo.

O que é genotipagem para HIV

A maioria dos exames que envolvem HIV são caros. O exame de genotipagem para HIV é de alta complexidade e caro. Na rede pública de saúde ele só é feito caso um remédio já foi testado e não deu certo. A maioria dos convênios de saúde também só libera o exame após uma tentativa falha ou com motivos específicos. Eu consegui fazer o exame antes de começar o tratamento por causa do meu caso de amor com remédios e efeitos colaterais.

Medical-12

O exame olha na escala dos genes do vírus do HIV e procura por mutações. Existem vários fatores para uma mutação ocorrer, como usar drogas, ficar doente, desequilíbrios no seu sistema imunológico, outros remédios… Mas o mais comum mesmo acontece toda vez que alguém esquece de tomar os antirretrovirais.

Além disso o exame mapea qual a “raça” do HIV. O HIV é dividido em HIV-1 e 2. O HIV-1 é classificado em três grupos, o M (main) responsável pela maioria das infecções, O (outlier) e N (new). Na atualidade, nove subtipos puros e 43 formas recombinantes do grupo M são reconhecidos incluindo sub subtipos. O subtipo C é o mais prevalente, representando aproximadamente 56% das infecções no mundo.

Algumas evidências indicam que alguns subtipos podem ter vantagem na transmissão viral, enquanto outros na replicação, além de influenciar nas vias de mutação, aparecimento de resistência mais rapidamente e fracasso do tratamento. No Brasil os subtipos B e C são os mais freqüentes e acima de 50% dos indivíduos recentemente infectados pertencem aos subtipos não-B.

Dois subtipos diferentes podem infectar uma mesma pessoa (fazer sexo sem camisinha mesmo com HIV é uma maneira), trocar material genético e formar subtipos híbridos conhecidos como CRFs (ex: CRF A/B, uma mistura dos subtipos A e B). No Brasil, os recombinantes B/F e B/C, também são mais comuns (e podem mudam drasticamente dependendo da região).

Alguns exames de genotipagem para HIV vem acompanhados de Fenotipagem para HIV. O teste de Fenotipagem é a medição direta da resistência contra medicamentos. É avaliada a habilidade do vírus em crescer na presença de diferentes concentrações de cada uma das drogas disponíveis.

Existe a versão virtual do exame de fenotipagem, onde é feito o exame de genotipagem para HIV e baseado nas mutações, interpreta-se quais serão as drogas resistentes.

O resultado do exame de genotipagem para HIV

Exemplo de um exame aleatório de genotipagem para HIV com fenotipagem virtual:

exemplo de exame de genotipagem para HIV

Como você pode observar, o exame acima mostra as mutações do vírus e e baseado nisso, interpreta-se que não haverá resistências aos remédios citados (no caso, sensível). É feito o mesmo processo para todas as outras classes de remédios

As interpretações são feitas baseadas em banco de dados, sejam privados ou públicos. Um dos maiores é o de Stanford. Laboratórios grandes também tem seus próprios bancos de dados.

A ansiedade de esperar este exame ficar pronto é uma das coisas mais tensas que já passei na vida. Basicamente um exame que vai te dizer se o vírus do HIV que você possui é resistente, se os remédios funcionarão e se você vai sofrer muito com efeitos colaterais. Resumindo: quão difícil será sua vida daqui pra frente.

Fontes

Subtipos do HIV-1 e associação com características demográfico-epidemiológicas em pacientes atendidos em Hospital de referência em Porto Alegre, Brasil

MG Morgado, ML Guimarães, B Galvão-Castro.
HIV-1 Polymorphism: a Challenge for Vaccine Development –
A Review. Mem Inst Oswaldo Cruz Vol. 97(2): 143-150, March 2002

4 Comentários comentários para O que é genotipagem para HIV?

Deixe sua opinião