Casos de AIDS diminuem 35% no mundo mas aumentam no Brasil

Dentre os últimos 14 anos, o número de casos de infeção por HIV caiu 35,5% no mundo todo. É o que indica o relatório da Unaids (PDF), programa conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids, divulgado nesta terça-feira (14). O número de mortes causadas pela AIDS caiu em 41%.

Há 25 anos atrás, ser diagnosticado com HIV era praticamente sentença de morte, os medicamentos disponíveis eram extremamente fortes e a sobrevida era miserável.

O relatório estima que hoje existam 36,9 milhões de pessoas vivendo com HIV no mundo, das quais 15 milhões (41%) estão sendo tratadas. A meta da organização é que até 2020 90% da população infectada seja diagnosticada, dentro deste grupo 90% seja tratada com antirretrovirais e por fim, 90% esteja com carga viral indetectável.

No Brasil

Screen Shot 2015-07-14 at 23.00.39O relatório também cita o papel de destaque do país no combate à AIDS no mundo. “O Brasil colaborou e muito para atingir essa meta [de tratar 15 milhões]. Não só em nível nacional, colocando bastante gente cedo em tratamento, mas contribuindo para baixar os preços dos medicamentos. Ao lado da Tailândia, o Brasil começou a produzir o tratamento genérico e demonstrou para o mundo que era possível”.

Por outro lado o registro de novos casos de AIDS aumentou. Um dos principais motivos é a falta de prevenção.

O Brasil é referência em combate e prevenção ao vírus do HIV, o que acontece é que as gerações mais novas cresceram sem ver o fantasma e o terror que é a AIDS. Segundo a ONU, isso aconteceu porque o combate à AIDS começou muito cedo no país e a nova geração que não conheceu a epidemia não está se cuidando. Isso também aconteceu em outros países onde a epidemia começou a ser controlada cedo.

Em 2000, estimava-se que o número de novos casos de HIV estava entre 29 mil e 51 mil. Em 2014, estimou-se entre 31 mil e 57 mil novos casos.

Estima-se que, em 2014, havia de 610 mil a 1 milhão de pessoas vivendo com HIV no Brasil.

Deixe sua opinião