Após exoneração de diretora, epidemiologista será confirmado como diretor do departamento de HIV/Aids

Após a exoneração da diretora do departamento de HIV/AIDS e hepatites virais do Ministério da Saúde, Adele Benzaken, foi confirmado um nome para substituí-la, o epidemiologista Gerson Pereira.

A esperança é de que ele dará continuidade às políticas públicas de prevenção, em especial a populações vulneráveis. Essa foi a mensagem que foi passada para tentar acalmar os ânimos da sociedade depois da exoneração de Adele.

Pereira é servidor do Ministério da Saúde. Entre as prioridades da sua gestão está melhorar a vigilância da tuberculose em pacientes com HIV/Aids para reduzir a mortalidade. Há também a intenção de reforçar a atenção a pacientes com hepatites.

A exoneração de Adele veio cheio de polêmicas, porque foi uma semana após o governo tirar do ar uma cartilha voltada para homens trans, uns dos que mais sofrem com a epidemia de HIV. A justificativa para a retirada do material do ar é que ele continha erros e precisava ser corrigidos.

O Ministério da Saúde tem 20 dias para explicar ao Ministério Público Federal (MPF) o que motivou a  retirada do ar a cartilha “Homens Trans: vamos falar sobre prevenção de infecções sexualmente transmissíveis?”. A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC) enviou ofício cobrando informações ao secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Kleber Oliveira. Mudanças no departamento responsável por políticas contra o HIV/Aids desencadearam reações de entidades. 

Fontes

Epidemiologista será confirmado como diretor do departamento de HIV/Aids
Ministério da Saúde: diretora do Departamento de HIV é exonerada

Deixe sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.