Sou HIV+ e tenho uma vida normal

Quem sou eu pra falar que tenho uma vida normal.

Se você acompanha minha história pelo blog, conhece o drama da minha vida, com transtorno bipolar,  que mora sozinho no 14 andar com tendências suicidas, sem falar no TDAH. E ah, HIV positivo! De normal minha vida não tem nada.

Apesar disso, de ter dado um “reset” em todos os meus amigos desde o diagnóstico e como parte da minha luta contra hábitos não saudáveis. Quando tudo está em ordem, até arrisco dizer que minha vida é normal.

O que quero dizer é que, o HIV não é o fim do mundo. As pessoas conseguem ter uma vida relativamente normal, não precisa ter medo.

No trabalho meu chefe, o chefe do meu chefe, o chefe do chefe do meu chefe e um ou outro colegas sabem, todos sempre me apoiaram, desde quando precisei faltar frequentemente porque precisava visitar médicos até quando precisei de folgas porque os efeitos colaterais dos antirretrovirais estavam me derrubando.

Meus amigos quando souberam do diagnóstico me levaram pra sair, espairecer, ir ao cinema. Quando fui internado foram até minha casa pegar roupas e levar pra mim no hospital ou levar carregador pra eu poder ficar comunicável no celular.

Minha mãe mora a mais de 1,000 km de distância, assim que soube do diagnóstico se ofereceu pra vir me visitar, neguei porque sabia que cada dia dela longe do trabalho como autônoma é menos dinheiro pra minha família. Ela deixa bem claro até hoje que na primeira necessidade ela pega uma avião e vem cuidar de mim.

Meu psicólogo está disponível 24h por dia se precisar ligar porque estou com algum problema, minha psiquiatra amém. O meu infectologista já ficou domingo a noite pendurado no telefone com o hospital enquanto eu dava entrada no pronto socorro.

Viver com o HIV pode ser como viver no armário, é um segredo que te agonia, saber que aquilo que você mostra pro mundo não é de fato você.

Viver com HIV também pode ser como um segredo de estado que te faz sentir superior. Eu deito toda noite na cama sabendo que estou mais saudável que nunca, convivo com transtorno bipolar, TDAH, conquistei o emprego que sempre quis,  construí uma vida e agora estou vencendo o HIV.

E tem gente reclamando do trânsito, né?

Quer ler mais sobre minha história? Conheça o e-book.

 

12 Comentários comentários para Sou HIV+ e tenho uma vida normal

  1. Me chamo Júnior 35,tenho uma vida normal sou Soro positivo a 5anos e minha carga viral sempre foi indetectavel.
    É uma boa termos essa página aqui pra falarmos conhecer pessoas na mesma condição..
    Espero esta podendo conhecer amigo e possa ta conversando

  2. Tenho 24 anos e hoje fazem 5 dias que fui diagnosticado com o vírus. Inicialmente eu surtei com a notícia, pensava na minha família, nos poucos caras que transei, na vida que levo atualmente e em tudo que vou ter que deixar para trás.
    A primeira noite foi a pior, fiquei em choque, não preguei os olhos durante a noite, passei a noite inteira com as pernas geladas e soando da cintura pra cima.
    Enfim, o que tenho para te dizer é que ao ler seus depoimentos eu fiquei mais tranquilo em relação a tudo, to mais leve, me sentindo normal novamente.
    Na próxima segunda será minha primeira consulta com a infecto e acredito que já serei medicado.
    Saiba que tudo isso que você passou não foi em vão, seu dom é maior do que você imagina! Você salva vidas!
    Obrigado!!

  3. Ricardo,
    na verdade é tudo uma balança. As pessoas hoje tem hábitos de alimentação que também são péssimos pro corpo, consomem muito carboidrato, muito alimento processado cheio de produtos químicos. São super sendentárias, ficam as vezes até 12h sentadas por dia. Tomam pouco sol, que é importante para produção de vitamina D. Se você adotar hábitos saudáveis, terá uma saúde melhor que muitas pessoas que são negativas. Além disso, os medicamentos novos que o SUS passará a adotar tem poucos efeitos colaterais. Mas mesmo com os atuais, as pessoas positivas tem uma expectativa de vida apenas 10 anos menor do que as negativas. A tendência é que se iguale com tratamentos novos e até passe a expetativa de vida de pessoas negativas, dado o acompanhamento médico mais recorrente dos portadores de HIV.
    Cuide de sua saúde e aproveite a sua vida, você vai viver por muitos e muitos anos, quem sabe até mais do que viveria sem HIV porque o o vírus faz as pessoas cuidarem mais da saúde. E com tantas frentes de pesquisa utilizando diferentes estratégias pra a cura, quem sabe ela aparece nos próximos anos.
    Pense que você não vai querer olhar pra trás e pensar que perdeu os anos que se passaram triste e remoendo essas preocupações.

  4. Descobrir que sou soropositivo no dia 28 de dezembro 2016, e no primeiro momento meu mundo desabou e não sabia o que fazer. Nas primeiras semanas foram as piores; chorava, pensava em milhões de coisas e de repente para e me perguntava “o que será da minha vida? E meus sonhos? E minha mãe?…” Sim, foram milhares de coisas que passaram na minha cabeça, então respirei fundo e falei “não quero morrer e esse não será o meu fim”. Pesquisei algo e passei saber sobre o assunto mais a fundo, então me falaram algumas coisas e estou me sentindo “melhor”. Minha família e amigos ainda não sabem, e não pretendo contar tão cedo, tenho medo e muito medo.
    Só quero viver!

  5. Concordo c vc ricardo ,descobri a doenca a 16 anos atras ;carga viral 850000 em 1 mes fiquei indetectavel ,estou deformada c meu corpo ,tenho muitos amigos e uma familia maravilhosa ,fui contaminada pelo meu primeiro namoradob,um fdp carimbador ,ele sabia q tinha ,em fim hj estou muito bem ,esperandona cura

  6. Olá, soube agora que meu irmão é soro positivo,ele está muito mal,gostaria de saber se alguém pode me passar uns grupos de face ou whatsapp para eu passar para ele, para que ele possa saber que pode ter uma vida normal.

  7. Boa tarde …descobri a 15 dias atras …pai do meu filho q me transmitiu em idas e vindas do relacionamento ..descobri fazendo exames de rotina aonde disse p ele e ele disse q n sabia … n acreditei pois nem assustado ficou …enfim vou fazer 37 anos semana q vem …e p mim a minha vida acabou …tenho 2 filhos uma familia maravilhosa e ainda estou c muira dividas ..ja estou tomando os coqueteis desde de qdo descobri e me lembro q qdo fui infectada foi 07/12/2016 pois tive dores no corpo como se fosse dengue e em julho 2017 fiz os exames e 18/10/17 descobri n fiz ainda exame de carga viral mas depois de qto tempo pode dar indetectavel e o corpo muda depois de qto tempo ….muda por causa da doenca ou por causa do remedio ? Eu emagreci muito e estou sem apetite….

  8. Gente tive uma relação de risco a 40 dias com uma mulher, dois dias depois tive uma coceira intensa nas coxas e pernas, fiz o teste rápido no CTA com 25 dias depois da tal relação, não reagente mas li aqui que é com 30 dias que o exame e confiável, por causa do feriado não pude fazer de novo, estou em prantos me sentindo com umas coisas estranhas, sou muito encucado tô morrendo de medo, podem me dizer se 25 dias pode ser levado a sério e exame?

  9. Tem 1 ano que fiz cirurgia nos seios e havia feito exames… tudo negativo .de la pra cá tive algumas relações de risco … Porém está sendo o melhor ano de minha vida pois não tive febre, dores, náuseas etc… Porém nesse mês de novembro já a duas semanas logo após uma infecção de ouvido causada pelo dente ciso eu fiz uma auto medicação de uns remédios para aliviar a dor e já são duas semanas de lá pra cá que meu corpo enpolou todo com Rash, nada me tira da cabeça que pode também ser a inesperada contaminação por vírus HIV, a chances de se contaminar sem ter tido mais nenhum sintoma aparente?

    Obviamente se for também após exame saberei e serei mais uma na luta junto aos positivos, sabe que penso disso? Erguer a cabeça e continuar, na minha cabeça não existe notícia mais devastadora do que câncer e a realidade é que a cada dia os números aumentam mais e mais, e o câncer ninguém é imune se ele aparecer o choque vem! Quem aqui é soropositivo já detectado por exame, eu aplaudo vcs por toda força garra que deixam essas mensagens aqui de animo e força a quem acha que a vida acabou após ser positivo… Logo mais trarei notícias sobre meu caso!

Escreva seu comentário