Quem será que foi?

Por escolha minha decidi que nunca mais teria relações com qualquer uma das pessoas com quem fiquei entre meu último teste negativo e e diagnóstico. Basicamente qualquer pessoa que possa ter me contaminado.

question

Alguns só fiquei uma vez, outros são amigos com benefícios e tem também os que casaria se me dessem chance. Todos entraram na blacklist.

O motivo da escolha é pra evitar desgaste emocional. Já tenho transtorno bipolar, já é difícil lidar comigo mesmo, com a doença, quem dera isso além de tudo.

Imagina só se vou pra cama com um deles e falo que tenho HIV antes do sexo, ele fala que também é. Eu posso ter contaminado ele no passado como ele pode ter me contaminado, não tem como saber. Meu cérebro dá voltas só de pensar nesse tipo de possibilidade, então decidi que não transaria mais com ninguém dessa safra.

Pra completar, eu não costumo ficar com desconhecidos, o que quer dizer que conheço todos eles, e é aí que a coisa começa a ficar… Curiosa.

Os candidatos

SEO-41

Tem o cara que eu conheço há mais de 10 anos pela internet, mora longe, veio passear e acabamos transando. O fato dele ser do norte do País (e agora eu sei que regiões portuárias tem incidência maior de casos de HIV), faz-me pensar sobre sua culpa.

Teve o extremamente tímido, quase fora da caixinha, porém apenas pessoalmente. O que deixava tudo mais confuso,  pela internet era todo desinibido e sem pudores (mandava até nudes!). Será que ele tem HIV e não sabe lidar bem com isso? Faz um pouco de sentido quando pessoas não se aceitam como são acabam se isolando de outras maneiras, a internet ta aí pra provar!

mandanudes

Houve o amigo que sempre estava metido em encrencas, seja criando intrigas com pessoas gratuitamente ou até mesmo sair na porrada com estranhos no bar. Sempre acabava descobrindo que ele era amigo de alguém que fazia coisas erradas. Nos dávamos super bem, porém eu mantinha ele propositalmente afastado, sempre fantasiava com o dia em que ele fosse me ligar pra buscá-lo na prisão ou pedir pra levá-lo ao hospital porque se machucou em uma briga.  Mas era gostoso e acabávamos nos pegando sempre.

Alerts-14

Falando no amigo da encrenca, também tive a oportunidade de virar alvo de briga. Quando mencionei que estava flertando com um conhecido em comum, ele ficou possesso e acabamos brigando, fiquei com preguiça e até bloqueei ele no facebook. Acabei ficando com o menino (pelo qual brigamos). Quando esse menino soube da história, fez questão de dizer que não estava nem um pouco afim do meu ex-amigo e o desmoralizou pra mim. Um dia estava dando pra ele, no outro falando que é escroto, vai entender. Quanto mais estranho, mais desconfio. Esse menino vive numa egotrip eterna, não importa o frio que o inverno nos proporciona, não passa uma semana sem postar foto sem camisa no facebook, e ah, tem um gato que parece existir apenas pra ser coadjuvante nas fotos dele semi-nu. Tudo orquestrado para ter mais curtidas, que nunca são menos de 300 por foto, parece que a estratégia funciona.

A lista de pessoas estranhas não acaba por ai, alias, vai longe.

Emoticons-08

Teve o estudante de audiovisuais que conheci no Tinder, eu moro sozinho mas ele me convidou pra ir à casa dele onde fizemos sexo na parte debaixo de uma beliche (!) e ainda insistiu em fazer sem camisinha (!!), nem saímos das preliminares porque ele não tinha camisinha, mas até hoje ele me convida pra fazer parte dos projetos de faculdade dele.

Teve outro encontro do Hornet que convidei pra minha casa depois de um café. Estava indo tudo muito bem, cara simpático, bacana, bom de papo, bonito… De repente me fala que está participando de um reality show e o produtor adoraria filmar na minha casa. O reality show era sobre relacionamentos dessa nova geração, não lembro muito bem como reagi só sei que pensei com meus botões “o que fiz pra atrair esse tipo de gente?”. Eu até quis sair com ele depois, mas o assunto sempre voltava a pauta “sua casa é tão legal”, “isso que você falou agora, ficaria ótimo na câmera”. Foi aí que fiz o que as pessoas dessa nova geração fazem quando perdem interesse: ignoram.

Chat_Messages-06

Minha vida é cheia de momentos em que você não sabe se fica lisonjeado, feliz, triste ou encabulado. Conheci um desenhista, também no Hornet, que aos poucos fui descobrindo ser especializado em… retratos nus de homens. Uma passeada pelo facebook da fera não deixou dúvida: ele é bizarro. Quando nos encontramos a primeira coisa que fez foi colocar o pé na minha cara e tirar uma foto, sem sequer perguntar se podia.  Ele também foi a única pessoa na vida que perguntou o meu status de HIV, perguntei de volta e disse que estava limpo também.

Tiveram também as bizarrices do meu lado. Estou sempre mudando de medicação por causa dos meus transtornos (bipolar, TDA, etc), numa dessas estava em um remédio que me deixava ou broxa ou demorava horas pra ejacular. Estava ficando com um cara que é extremamente gostoso, do jeito que consegue me deixar louco. Estávamos naquele momento crucial, ele sentado em cima de mim depois de algum tempo de preliminares, pra minha surpresa ele lambeu a mão e decidiu forçar a barra sem camisinha. Eu gozei na hora. Sem aviso prévio meu organismo me sabotou enquanto o cara rebolava em cima de mim! Quando percebi reagi instintivamente, tirei ele de cima de mim e virei pra fingir que ia pegar algo do lado da cama, com o movimento consegui secar tudo na colcha e logo depois continuamos como se nada tivesse acontecido. Acho que ele não percebeu porque voltamos a ficar algumas vezes depois.

Teve o cara da agência de publicidade que muitos amigos trabalham e muitos outros já trabalharam com, ele claramente não superou o namoro de mais de cinco anos que recentemente acabou, ficamos umas três vezes e todas ele transou de olhos fechados, meio distante, frio, nunca entendi porque sempre voltava se não demonstrava interesse… Depois descobri que sou praticamente um clone do ex dele.

Faces_Users-20

Teve um diretor de marketing. Saímos num sábado à noite pra jantar, date típico. Enquanto eu estava de camiseta e calça jeans, ele estava de camisa, paletó e sapato social. Na hora do pedido fez questão de ser proativo e selecionar um vinho da carta, era o coxinha completo.  Na hora H, descobri um mastro monumental, não apenas isso, mas insistia em que eu só fizesse boquete nele. Por horas. Mesmo quase o expulsando da minha casa.

Falando na vida executiva, trabalho num bairro em que todos andam de camisa azul claro por dentro da calça social preta, Visa Vale é rei e os bônus dos banqueiros começam nos R$30mil pra quem acabou de sair da faculdade. Isso cria pessoas bizarras e estressadas a um ponto inimaginável. Não me impressiona que a maioria dos prédios não tem janelas ou as sacadas são trancadas. Numa dessas conheci um banqueiro no Hornet que morava do outro lado da rua de onde eu trabalho. As vezes comodidade é mais atraente que beleza e saímos pra jantar seguido de uma visita na casa dele. Depois de quase quatro horas de jantar, papo, café, etc. vamos pra cama e depois de muito role-playing sem sucesso, ele vira e fala “É que não sou muito sexual”.

Teve o menino do interior que acabou de chegar na cidade e tinha um olhar estranho fixo pra tudo, na cama ele ficava olhando pro teto no meio da ação, no café ele olhava ao além. Não só isso, mas trabalha com um dos meus melhores amigos e a “estranheza” também se estendia ao ambiente corporativo.

Tem outro amigo, que desde 2012, vai namoro, vem namoro, na entressafra estamos sempre transando.

Teve um amigo que é casado, apaixonado pelo namorado, mas claramente pula a cerca o tempo todo. E todo mundo sabe da fama dele, menos ele e o namorado. Acabou indo pra cama comigo, mas além de algumas carícias só dormimos juntos.

Sem falar no outro amigo que eu casaria se me quisesse, mas sequer sexo conseguimos fazer direito e nunca superou o último namoro que durou quatro anos.

Tem também os três com quem fiz sexo sem camisinha.

Quem desses me transmitiu HIV? Não sei, mas foi um deles ou o universo está brincando demais com a minha cara.

E a ética?

Conversando com meu infectologista, psiquiatra e psicólogo, decidimos não abordá-los sobre o assunto, todos os riscos foram mínimos, não houve sexo desprotegido nem nada do tipo. As chances de transmissão são baixas se você usar camisinha ou fizer sexo oral. E a possibilidade de exposição pode ser mais danosa  (falarei disso num próximo post).

São histórias como quaisquer outras.  Poderia ter acontecido com você, poderia ser um amigo seu contando na mesa do bar, pode estar acontecendo no apartamento ao lado agora mesmo. o HIV está onde você menos espera. Previna-se.

Quer conhecer o resto da minha história?Leia o e-book no seu celular, Kindle ou tablet >>

*Alguns detalhes da história foram modificados para preservar o anonimato.
**Antes que me pergunte, isso foi num período de um ano.

5 Comentários comentários para Quem será que foi?

  1. Seu blog apareceu por um acaso na minha timeline do Facebook e por ter interesse neste assunto, me peguei lendo todos os posts e as informações, mais que úteis, sobre o HIV/AIDS.

    Pelo que entendi, tu descobriu ser positivo no começo do ano, correto? Você descobriu fazendo o check-up, mas e após eles, algum sintoma chegou a aparecer em ti?

    Eu sou gay também, 26 anos, também de SP… e faz um bocado de tempo que não faço o exame (e acabei fazendo sexo sem camisinha nesse meio tempo). É complicada esta questão de confiança pois eu costumo pensar “mas ele parece tão inocente” ou “confio nele, ele se cuida, falou que usou camisinha antes…”, mas a gente nunca sabe.

    Não consigo nem imaginar a barra que deve estar sendo pra ti pois apesar de hoje ser BEM diferente de anos atrás, a nossa mente adora criar bobagem e ficar over and over no assunto.
    Só não sei no que realmente mudaria para você, saber quem te transmitiu o vírus. Se for como forma de alerta, eu acho super válido mas ao mesmo tempo tem toda a questão da sua exposição. Ficar pensando na possível pessoa que te transmitiu, só vai te deixar ainda mais ansioso (eu como muito ansioso também, sei como é =P).

    Enfim, tu já sabe que os tempos daqui para frente serão um pouquinho menos fáceis; contar que é gay já não é fácil haha… mas saiba que para cada dificuldade, para cada olhar torto ou cada julgamento, sempre SEMPRE haverá pessoas que gostam muito de ti e que torcem MUITO por você, não importa o que !

    Estarei por aqui acompanhando a sua trajetória e te enviando forças para enfrentar o novo (mas não menos brilhante, tenha certeza) caminho daqui pra frente.

    Lembre-se: estar bem, estar / ser feliz, depende apenas de você! Força na peruca que estamos juntos!
    E obrigado por criar o blog e trazer informação para as pessoas =)

    • Oi Rafael,

      Descobri agora em Junho, mas você realmente entendeu, não sei até agora quem foi e não faço ideia, mas como meu infectologista bem indicou, não importa muito quem foi, mas sim me cuidar de agora em diante.

      Agradeço muito pelo apoio e pelo carinho! Eu criei o blog pra tentar disseminar informação e mostrar que o HIV é algo que todo mundo precisa se cuidar, como isso afeta as pessoas e que não podemos deixar passar.

      Espero que goste e volte mais vezes

      Abraço,

  2. Olá,
    Assim como o amigo acima seu blog apareceu por acaso.
    Tenho 26 anos, sou de Goiânia, mas vivo em SP a 6 anos. Sou portador do vírus e descobri com 20 anos. Me peguei chorando ao ler seus posts pois, sua historia é muito parecida com a minha. Hoje vivo muito bem.

    Parabéns pelo blog.

  3. Olá, tenho 27 anos. Morava e fui contaminado quando morava em São Paulo em 2014.
    Há poucos dias descobri que o cara (um dos possíveis contaminadores) com quem tive contato de risco também está diagnosticado com HIV. Conversamos muito e foi ótimo saber que estamos nos tratando e vamos ficar bem, mas se for para ter que culpar alguém é melhor nem saber, não irá mudar em nada na sua vida daqui para frente.
    Vamos seguir e com mais cuidado adiante.
    Muito bom o blog, descobri por acaso também qdo pesquisei sobre FGTS e caí aqui, já li um monte daqui e gostaria de dar o meu relato tb.
    Já que é muito semelhante ao seu e do Amigo.

    Agradecido.

  4. Olá, quais as chances de contrair o vírus depois de uma única relação sem camisinha, insertiva e de ter iniciado a PEP 30h após a exposição?

Escreva seu comentário