A caça às bruxas

-Oi tudo bem?
-Não e você?


Depois de superar, de certa forma o resultado dos seus dois exames do HIV. Começa a inevitável (vou chamar assim com muitos pesares éticos) caça as bruxas. Quem foi o filho da puta que me passou essa porra?

Só tinha transado com três pessoas sem camisinha, em dois casos rolou sexo anal receptivo (passivo, para os íntimos), no outro foi só uma brincadeira rápida. No caso do sexo passivo a chance de transmissão é de 1,38%, ou 138 entre cada 10.000 relações.

Mesmo assim, sou do grupo de alto risco, um jovem gay tem, estatisticamente, 13 vezes mais chances de contrair Aids do que um jovem heterossexual, de acordo com o Ministério da Saúde. Em São Paulo estima-se que a população gay possui HIV em 15% dos casos, segundo meu Infectologista.

Estatisticamente 1 entre cada 10 amigos de meus amigos tem HIV. Mesmo assim nunca oficialmente tive um.

 

Tipo de exposição Risco por 10,000
exposições
Sangúineo
Transfusão de sangue 9,250
Compartilhar seringas 63
Enfiar agulhas na pele 23
Sexualmente
Sexo anal receptivo (passivo) 138
Sexo anal insertivo (ativo) 11
Sexo vaginal receptivo 8
Sexo vaginal insertivo 4
Receber sexo oral baixa
Sexo oral insertivo baixa

 

Então estava bem óbvio que só podia ser de um dos três que eu peguei HIV. Um era amigo com quem fiquei no passado, outro meu ex e por fim o cara com quem estava ficando atualmente.

O amigo

Decidi começar pelo meu amigo, que seria o menor impacto emocional. Fiz isso da maneira que minha geração faz: por mensagem de texto.

Mandei uma mensagem e esperei ele responder pra ter certeza que teria total atenção. Falei com toda a calma do mundo que meu resultado tinha dado positivo e fiquei olhando pra tela, esperando aqueles três pontinhos aparecerem e ele dizer algo, segundos que pareciam minutos, meu terapeuta tentou me preparar para qualquer reação, mas cabeça de bipolar é fogo.

Ele basicamente largou tudo que estava fazendo e correu para o hospital fazer o exame. Onde ele foi não estava fazendo exame rápido de HIV, foi pra outro, que estava, enquanto isso fiquei tentando falar com ele sobre a situação. Descubro que o menino acabou de começar a namorar e bang, já estava fazendo sexo sem camisinha.

Ele também lançou uma frase que recebi como uma facada “se eu estiver contaminado, só posso ter pegado de você”.

Duas horas depois o teste dele deu negativo.

O boy

Estou ficando com um garoto – vamos chamá-lo de Ricardo – esporadicamente há muitos meses. Eu e Ricardo nos damos bem, o sexo é bom, ele é fofo, eu gosto de cuidar del e ele é a pessoa mais simpática do universo, mas por muitos motivos essa relação nunca virou uma relação. Por ser a pessoa mais simpática do universo ele tem sempre um evento pra ir e nossas agendas nunca batem.

De qualquer forma, um dia estávamos transando e decidimos tirar a camisinha da jogada. Foram alguns minutos onde o penetrei sem camisinha, antes de gozar mudamos pra outra coisa que não envolvia penetração.

Coragem. Bora falar pra uma pessoa que você tem uma grande consideração que você pode ter transmitido um vírus sem cura pra ela. De novo, da maneira que minha geração faz: através de mensagem. Só que antes, tinha que ter certeza que ele ele não tinha nenhuma reunião próxima e daria tempo dele ir em um Centro de Referência e Tratamento de DST e Aids fazer o teste rápido.

Ricardo costuma responder as mensagens rápido. Sempre cheio de vida e felicidade, logo estávamos falando sobre algum assunto aleatório, quando precisei parar tudo pra lançar a bomba. “Então, fiz um checkup e meu HIV deu positivo” […] “E ainda fiz outro exame pra confirmar”.

A reação dele foi completamente diferente, ao invés de tomar uma postura de vítima, ele – após se recuperar do choque – ficou preocupado em ter me passado algo, afinal ele não fazia o teste há mais de 2 anos.

Contei tudo que já havia passado, a pouca informação que tinha até então e passei os endereços pra ele fazer o teste rápido. Enquanto isso fui pra uma reunião “me distrair”.

Ele ficou falando comigo o tempo todo, uma amiga acabou o levando ele pra fazer o teste. No final estava limpo também, ufa.

O ex

De longe este seria o mais complicado. Não nos falávamos há meses e muitas mágoas em forma de câncer perduravam. Considerando que os outros dois não tinham nada e foi com ele com quem tive mais contato sexual, ficou mais complicado ainda.

Pensei nas seguintes possibilidades de como falar com ele:

* Mensagem: ele poderia não responder.
* Telefone: muito impessoal dado a gravidade da notícia.
* Pessoalmente: muitos desconfortável e não tem como sair da situação rápido.
Decidi com meu terapeuta que telefone seria a forma mais humana, eficiente e rápida de dar a notícia. Por outro lado eu também queria saber o status dele, então precisava manter a compostura e o tato.

Eram 11 da manhã numa sexta-feira, liguei pra ele saindo da terapia, ia entrar em reuniões a tarde e só sairia as 17, então se ele quisesse fazer o teste não iria conseguir. Melhor ligar rápido.

Estava na rua, nenhum banco pra sentar, nenhum espaço pra parar um minuto e conversar, acabei parando na calçada mesmo, em um canto da Vila Olímpia, vários coxinhas vestidos com suas camisas sociais azul claro e calças pretas marchando para o almoço ao meu redor.

Ele atendeu o telefone, eu com voz já muito trêmula não sabia muito o que falar, tudo o que tinha ensaiado mentalmente se foi, todos os conselhos do terapeuta esmaeceram da minha cabeça.

Falei que tinha feito o teste do HIV no checkup na semana anterior e deu positivo, boom. Sem cerimônias. Além disso apenas um silêncio mortal.

Numa voz apática “-Nossa, não sei nem o que te dizer, deve estar sendo difícil pra você. Há umas duas semanas uma pessoa com quem fiquei me falou a mesma coisa, acabei fazendo o teste e estou limpo”.

Ele ofereceu mais algum apoio, porém eu estava tão conturbado mentalmente nesse momento agradeci rapidamente, só queria acabar com aquela ligação, não ouvir mais a voz dele antes que eu começasse a chorar.

Depois disso ele ligou, mandou mensagem no WhatsApp, mensagem de voz, eu não consegui ouvir nenhuma delas até agora.

Se as únicas pessoas que eu fiz sexo sem camisinha estão limpas, onde foi que peguei HIV?

Fonte da tabela: CDC

9 Comentários comentários para A caça às bruxas

  1. Um deles mentiu… e eu tenho pra mim que foi o seu ex!!! Eu espero que você esteja conseguindo lidar com isso, não posso imaginar o quão difícil deve ser. Mas, tenho fé em Deus e na ciência, sua cura chegará!!!

  2. […] Esta metodologia de testagem já é utilizada na rede pública (não quer dizer que é o mesmo tipo de teste) há um tempo, permitindo resultados em meia hora e deixando vários desesperados menos aflitos. Lembro quando contei pra dois parceiros que estava com HIV foi questão de horas até os dois descobrirem a verdade. […]

  3. Não interessa quem te passou o vírus. Isso não vai fazer vc ficar limpo do HIV. Retire toda mágoa do coração, se perdoe e perdoe quem te passou a doença, pois se a pessoa que te passou tem culpa( ou não ter culpa, pois ela pode não saber q é soropositiva), vc tb tem por não ter usado camisinha. Portanto, agora cuide dá sua saúde e viva tranquilo

  4. Existe possibilidade de ter pego com agulha? Eu me vacinei semana passada contra febre amarela, já fiz exame de HIV e não tenho. Será que a enfermeira pode ter injetado o vírus em mim? Parece loucura mas estou com medo.

  5. brother, esquece….
    vc pegou da mesma maneira que a pessoa pegou e que vc poderia ter passado tbm
    se concentra em se tratar, psicologicamente tb
    boa sorte, força ai brother

Escreva seu comentário