Sobre a categoria

Sua vida muda a partir do momento em que você lê “positivo” no seu resultado do teste de HIV. Conheça desde os primeiros dias do meu diagnóstico como foi encarar esta situação. O apoio dos médicos, preconceitos, dificuldades, as visitas ao hospital e o lado pessoal de como é viver com um vírus mortal incurável dentro de você.

Esta categoria é apresentada em ordem cronológica, ou seja, o primeiro post abaixo é o primeiro da história e assim por diante

Quando tudo começou

Quando tudo começou

Conheça a minha história, como foi ser diagnosticado com HIV e como essa notícia me afetou nos primeiros dias de diagnóstico Continue lendo…

Postado em
A caça às bruxas

A caça às bruxas

Depois de descobrir que você possui HIV, a coisa mais ética a se fazer é falar com todos os seus parceiros antigos e quem sabe descobrir quem te transmitiu. Continue lendo…

Postado em
A quarentena

A quarentena

Os avanços da medicina fazem com que uma pessoa com o HIV tenha uma vida relativamente normal, sem muitos efeitos colaterais e dificuldades de ser funcional. Mas começar um relacionamento nunca mais será a mesma coisa. Continue lendo…

Postado em
A primeira internação

A primeira internação

Se meu psicólogo estivesse lendo este título ele já falaria “Como assim a primeira? Para com esse pessimismo, menino”. Foi a primeira desde os 12 anos de idade quando fiz uma cirurgia que fui internado. Espero que não seja frequente, mas foi um susto e tanto. Ainda mais porque não teve nenhuma relação com o… Continue lendo…

Postado em
Quem será que foi?

Quem será que foi?

Alguns só transei uma vez, outros são amigos com benefícios e tem também os que casaria se me dessem chance. Eu não descobri quem me transmitiu o HIV, mas ter contato social com todas as pessoas que tive uma relação no período é no mínimo peculiar. Continue lendo…

Postado em
O Amigo

O Amigo

Em uma bela tarde de sábado, convidei um grande amigo pra almoçar. Não o via há tempos, já que o trabalho estava me consumindo. Ele que foi freelancer a vida toda, não entendia muito bem o conceito de “ficar atolado de trabalho” e não ser dono do seu próprio tempo, então sempre ficava levemente chateado fazia um drama que… Continue lendo…

Postado em